Depois da estreia no Rali Alto Tâmega do Ford Escort RS 2000 MK1, Vitor Calisto / Márcio Calisto marcaram presença na segunda prova do Campeonato de Portugal de Clássicos de Ralis de 2019, o Rali de Castelo Branco, que se realizou dias 22 e 23 de junho.

 

 


“Vínhamos para Castelo Branco sobretudo com a intenção de fazer o maior número de quilómetros ao volante do Ford Escort, de modo a podermos conhecer um pouco melhor o carro e as suas reações... porém, apanhámos sempre as especiais com muita areia o que nos dificultou a aprendizagem e a progressão, mais parecendo que estávamos num rali de terra, pesando ainda o facto de não podermos dispor de direção assistida o que torna tudo
muito mais difícil”, explica Vitor Calisto, revelando também que “fomos surpreendidos pela organização, cerca de meia-hora antes do rali se iniciar, com a informação de que os Clássicos não iriam fazer todo o rali, tal como os concorrentes do Campeonato de Portugal de Ralis, mas sim apenas o mesmo número de troços dos regionais. Para além desta desagradável surpresa, o número de quilómetros de especiais ainda ficou mais reduzido face à anulação de uma especial no Sábado e outra no Domingo, não nos permitindo rodar aquilo que precisávamos”.

Do ponto de vista desportivo, Vitor Calisto, novamente com Márcio Calisto como navegador, concluíram o Rali Castelo Branco no 6º lugar absoluto do Campeonato de Portugal de Ralis Clássicos, sendo os primeiros classificados do Grupo 2 e da Classe H71. “Não tínhamos qualquer meta ou objetivo desportivo para esta prova além de rodar o máximo com o Ford Escort, mas penso que, apesar de tudo, conseguimos evoluir um pouco mais face à primeira prova e terminar um rali muito difícil e traiçoeiro, ficando a certeza de que ainda existe ainda muito para aprender na condução desta nova máquina” concluiu Vitor Calisto.

Mais informações sobre o Rali Castelo Branco: www.ralicastelobranco.pt 

Go to top