Victor Calisto e Joaquim Batalha de volta à acção.

Foi já quase há 1 ano que Victor Calisto e Joaquim Batalha e o seu leal Citroen Xsara disputaram o Rali do Algarve de 2010.

Desta vez com um mini-projecto que engloba as três últimas provas em asfalto do Campeonato de Portugal de Ralis, Rali do Centro, Rali de Mortágua e Rali do Algarve, esta dupla vai estrear um novo motor no seu Citroen Xsara e tentar chegar ao fim de todos os eventos em que participar, lutando sempre pela vitória na classe.

É já no próximo dia 17 que vai para a estrada o Rali do Centro, com o início da sua parte competitiva  marcado para as 09.00 horas e o final para as 23.00 horas e que se realiza entre as matas de S. Pedro de Moel e os arredores de Pombal, com o seu centro nevrálgico no Parque da Cerca, na Marinha Grande, onde funcionará também o Parque de Assistência.

Os pormenores respeitantes a esta prova poderão ser encontrados no site do clube organizador – Clube Automóvel da Marinha Grande

http://www.camg.pt

 

 

Oh tempo volta para trás…

Traz-me tudo o que eu vivi…

Nem tudo, porque em qualquer vivência há coisas más que não queremos recordar… 

Mas se calhar…. quase tudo…

E, quando nos lembramos de como eram os Ralis quando começámos  a “rebolar” por estas bandas, temos efectivamente saudades…

Saudades da camaradagem inequívoca entre todos os participantes, fossem pilotos, navegadores, mecânicos ou até patrocinadores, que quase constituíam uma família unida e indivisível que se reunia de quando em vez para fazer aquilo que mais gostavam….Estar rodeados de automóveis…

Saudades do tempo em que os carros de todos os dias, bem preparados, com habilidade e saber, e logicamente bem guiados, eram carros competitivos capazes de fazer boa figura em qualquer evento

Saudades das enormes listas de inscritos, que faziam delirar durante horas as multidões, que fizesse sol ou chuva, frio ou calor, não arredavam pé das especiais de classificação para ver passar os seus ídolos.

E sem querermos ser saudosistas…Saudades de tudo um pouco…

Agora, fruto dos tempos, tudo é diferente !!!

Os que começaram quando começamos, já desistiram…

Os que começaram depois, também já…

E pelo o andar da carruagem estes ainda se vão embora e nós ainda por cá…. 

Que grande chato…

Os carros e as suas preparações, tem cada vez menos o dedo do mecânico X ou Y, que fruto da sua experiência ou saber, conseguia tornar o carro mais competitivo…Fazendo um motor à sua maneira, afinando as suspensões e torná-las mais adequadas ao terreno ou mesmo até afinando um par de carburadores…

Agora, tudo se compra feito ou afinado…

E para se ter mais e melhor, há que ter a carteira bem recheada e ir comprando as milionárias evoluções que vão sendo postas à disposição…

Que saudades também da lealdade com que fomos tratados pelos sponsors que ao longo da nossa carreira foram acreditando nos nossos projectos, e que, ao fim de algum tempo, se tornaram amigos, aprendendo a viver connosco esta paixão pelos automóveis…

Mesmo aqueles que por não estarem tão direccionados e sensibilizados, foram percebendo com o nosso trabalho a tal “Forma diferente de estar por dentro”, que imprimimos sempre às nossas participações…

De tal modo, que por inércia ou respeito, alguns nossos amigos/patrocinadores foram tendo lugar no nosso carro e no nosso visual de uma forma quase cativa, sem se dar muita importância ao valor que devia ser justamente cobrado pela ocupação dos espaços, que, quase sempre, era largamente inferior ao valor que tinham.

Assim, foi com tristeza e decepção, que vimos este ano, um nome que sempre esteve ligado às nossas participações, sair pela porta dos fundos, respondendo pela negativa, e por e-mail, ao pedido de mais um pacote de “amendoins” (que mal dava para pagar uma inscrição) …

Sem brilho nem explicação, e  a uma semana do início da 1º prova prevista, e sem sequer um telefonema ou um “dar a face”, fazendo-me sentir que não vale a pena… 

Não se pede obrigatoriedade…

Há factores que por vezes não nos permitem cumprir com o que pensamos….

Agora sem uma palavra….???

Mas, rapidamente percebi que quem perdeu foi o concessionário Citroen a quem emprestamos a nossa imagem…. 

Rapidamente entendi que sou eu que estou certo e que continuo por cá… 

E que se se calhar são eles que não são merecedores de estar ligados ao nome da minha equipa… Paz à sua alma… RIP

Mas como a vida continua, e eu por enquanto também, lá fomos “cantando e rindo” até terras de El-Rei D. Dinis reconhecer e disputar mais um Rali do Centro, anteriormente Vidreiro, Rota do Sol , Rota do Vidro…etc.….

Desta vez, o rali foi condensado num único dia – Sábado- e o reconhecimento foi apenas permitido na Sexta-Feira anterior, numa medida que se saúda e que se direcciona para a contenção de custos que todos precisamos

Apenas um senão…para quem trabalha…o que ainda é o nosso caso…

A contenção de custos transformou-se num prejuízo apreciável…teria sido preferível ir reconhecer a prova no fim-de-semana anterior

Porquê não fazer o Rali no Sábado e no Domingo?...

Bem alguns terão razões diferentes, e não se pode agradar a Gregos e a Troianos…

Fica efectivamente o esforço, que se aplaude, dos homens do CAMG para fazer alguma coisa diferente e para melhor, perante a indiferença de uma Federação adormecida que nada faz nem nada pensa….

Quanto aos reconhecimentos, continuamos a pensar que os homens que patrulham as nossas estradas ficam muito zangados com este desporto…e põem uma cara de mau sempre que nos vêem passar….deve ser para termos mais respeito …mas isso…nós já temos…

Quase no final do dia de 6ª feira, na estrada que liga a Marinha Grande a S. Pedro de Moel e quando reconhecíamos a Super Especial, o que nos obrigava em dois locais específicos a mudar de faixa e negociar uma chicane constituida por um triângulo de um entroncamento com a via principal, e no primeiro desses locais….

VW Golf da GNR colocado no centro do triângulo, 2 guardas ladeando a viatura e um outro com ar de Oficial das SS mais á frente e com um ar ameaçador.

Perante este cenário, parámos e…

EU – “Sr. Guarda, estamos a reconhecer o rali de amanhã e necessitamos de passar para esse lado para cumprir o percurso de prova….”

GUARDA, com o dedo indicador bem á frente do nariz baloiçando de um lado para o outro, e com um ar de quem nos iria fuzilar no momento seguinte, retorquiu com aquela linguagem típica dos habitantes da Aldeia da Xana

“O rali é amanhã…hoxe não há rali…amanhã é quisto é tudo voxo…hoxe não há rali”

EU – “Mas ó seu Guarda é que a gente tem de reconhecer isto conforme está aqui no livrinho…senão amanhã não sabemos como se faz…”

GUARDA ainda com um ar assustador

“Já lhe dixe que hoxe não há rali…Xó amanhã…” 

E o dedinho lá ia abanando á frente do nariz

EU insistindo- “Mas ó seu Guarda podia dar um jeitinho que a gente ia com cuidado e….”

GUARDA…já espumando pela boca

 “Xá lhe dixe…A Guarda não está aqui para autorizar infraxões…o rali é amanhã…hoxe não há rali…..Xó amanhã…..Além dixo está aqui um traxo contínuo…e um traxo contínuo é como se foxe um muro….”

EU – Teimoso que nem um burro e mostrando o road-book ao Guarda que entretanto atravessara a estrada na noss direcção

“Mas ó seu Guarda não sabe ler ?  …. Está a qui escrito….”

GUARDA – Voltando as costas e indo embora 

“Não percebo nada dixo….” 

EU – “ Ó seu Guarda não me vire as costas….”

GUARDA – “Já lhe dixe….Siga…..as infraxões xão xó amanhã…”

E lá seguimos estrada abaixo, e a nossa sorte é que na 2º chicane não havia guardas…E e à 2º passagem já tinham ido jantar….E nós também fomos….mas lanchar…

Por outro lado o S. Pedro está defenitivamente reconciliado com os Ralis ou então não há verba para chuva o que é o ainda mais provável…

As verificações documentais e técnicas pecaram por não cumprir o estipulado no horário do regulamento…

E a confusão foi grande com os homens do CAMG  a terem que fazer trabalho extrórdinário, acabando de preencher as fichas de inscrição de alguns pilotos, que por “não terem tido tempo” ou não saberem escrever, deixaram esse trabalho para a organização, obrigando a que os outros que cumprem a sua obrigação esperassem e desesperassem para ser atendidos…

E foi, lá por volta da meia-noite que fomos à procura de comida que só encontrámos na rulote do Agostinho que ainda esperou por nós para nos alimentar

E, na manhã seguinte, depois de um dedo de conversa com alguns pilotos á entrada do parque fechado, lá fomos por estradas montanhas e planícies disputar as 12 classificativas desta 6ª prova do Campeonato de Portugal de Ralis.

E, coitado do nosso carro ao pé das máquinas de última geração….

Não adianta mais nada…

Os Clios, OS DS3 os C2 os Mitsubishi  são efectivamente carros do outro mundo…

O nosso é o parente pobre que de vez em quando tem a ousadia de se intrometer e vir passear onde os outros passeiam…..

E começámos logo mal com um problema de travões que quase incendiou o nosso Xsara, obrigando-nos adiminuir e acautelar o andamento…

Está a arder… dizia aflito o controlador no final da 1º especial

Já apaga com o andamento…e assim foi…felizmente

Mas, acabámos bem, provando a eficácia da Inside Motor e do seu pessoal, que prontamente resolveu o problema na 1ª assistência, devolvendo à nossa viatura e ao nosso bem estar psicológico,  a travagem a que sempre estivémos habituados, terminando o rali em 14º da geral e ganhando a classe 3.

Mais uma vez sentimos a manifestação de regozijo e o apoio de todos os que nos saudaram por mais esta participação, fazendo-nos sentir, que acima de tudo somos respeitados

 

Até Mortágua

Victor Calisto

A Calisto Corse Equipe vai poder contar para as duas últimas provas do Campeonato de Portugal de Ralis – Rali de Mortágua e Rali Casinos do Algarve – com o precioso apoio da Sucursal Sacavém.

“Além do enorme prestígio e responsabilidade que este apoio encerra, o que nos deixa satisfeitos, confirma-se também, mais uma vez  a seriedade e validade dos nosso projectos” referiu Victor Calisto, visivelmente satisfeito com o acordo alcançado.

“Só espero estarmos à altura deste desafio”, concluiu o veterano piloto.

Go to top